em Dicas e; Truques, Para adultos, Para pais

A perda auditiva, às vezes, é considerada uma deficiência invisível e, embora a conscientização seja baixa, é uma preocupação crescente em todo o mundo. Segundo a OMS, aproximadamente 1,1 bilhão de jovens correm o risco de perda auditiva devido à exposição regular e prolongada a sons intensos. No entanto, a perda auditiva induzida por ruído pode ser evitada adotando-se recomendações de “escuta segura” na vida diária.

Atualização sobre a perda

Sabemos que mais de 1,5 bilhão de pessoas vivem com perda auditiva e, em 2050, esse número deverá subir para mais de 2,5 bilhões (1 em cada 4 pessoas), alerta o primeiro Relatório Mundial sobre Audição da OMS. Além disso, 50% das pessoas com idade entre 12 e 35 anos correm o risco de danificar permanentemente sua audição. Níveis de ruído alto em locais de entretenimento são fatores de risco para até 40% dos jovens em países de alta e média renda. Uma razão para isso é que a maioria das pessoas desconhece os perigos associados a ouvir regularmente sons altos ou ruídos por longos períodos, especialmente na sociedade moderna, onde ouvir música por fones de ouvido, smartphones e outros dispositivos de áudio é muito comum.

Prevenção é fundamental

É importante notar que a perda auditiva nem sempre pode ser evitada – depende da causa. Fatores genéticos podem tornar algumas pessoas mais suscetíveis à perda auditiva do que outras e às vezes é apenas parte do envelhecimento. Mas a perda auditiva causada pela exposição a ruídos altos é evitável. Com base nas recomendações da OMS, a MED-EL desenvolveu uma lista de dicas diárias de audição que podem reduzir o risco de perda auditiva por exposição a sons recreativos.

  1. Limite o volume: reduza o volume em dispositivos de áudio pessoais para 60% abaixo do máximo.
  2. Não exponha os ouvidos a música alta: os adultos devem ouvir dispositivos com níveis de ruído seguros de até 80 dBA, por não mais de 40 horas por semana, enquanto as crianças não devem exceder 75 dBA por não mais de 40 horas por semana.
  3. Proteja os ouvidos de sons altos: Use tampões de ouvido para proteger os ouvidos de sons altos em locais com música amplificada, por exemplo, em clubes, shows e locais de entretenimento. Se inseridos corretamente, os tampões para os ouvidos podem reduzir a exposição em 5–45 dB, dependendo do tipo usado.
  4. Faça pausas: Quando estiver em ambientes barulhentos, faça pausas regulares em áreas silenciosas. Limite o uso diário de dispositivos de áudio pessoais.
  5. Reduza os ruídos de fundo: use fones de ouvido com cancelamento de ruído bem ajustados e desligue o rádio, a TV ou qualquer outra fonte de distração sonora.
  6. Mantenha distância de fontes de som alto: Afaste- se dos alto-falantes para proteger os ouvidos.
  7. Escolha dispositivos que regulam volumes automaticamente: experimente aplicativos e outras tecnologias com recursos integrados de escuta segura.
  8. Verifique sua audição: Visite um fonoaudiólogo ou otorrino se sentir dor de ouvido, uma sensação de zumbido permanente (zumbido) ou dificuldade em acompanhar conversas. É recomendado pela OMS que todos os adultos devem fazer uma triagem auditiva a cada 5 anos, a partir dos 50 anos até os 64 anos. A partir dos 65 anos, a audição deve ser verificada a cada 1-3 anos. Um teste auditivo online gratuito está disponível no site da MED-EL .

Fazer um teste auditivo é um passo preventivo muito importante para identificar e tratar uma deficiência precocemente e encontrar a solução auditiva adequada, como um implante coclear. 

Soluções MED-EL

Na MED-EL, nossa visão é superar a perda auditiva como uma barreira à comunicação e à qualidade de vida. Como não podemos reverter a perda auditiva induzida por ruído, pedimos a todos que protejam sua audição o máximo possível. Nossas inovações ajudam a substituir o sentido humano da audição com a ajuda da tecnologia e podem permitir que as pessoas recuperem e mantenham a necessidade humana básica de se comunicar e participar ativamente da vida. No entanto, existem medidas preventivas que todos devem ter em mente.” –Patrick D’Haese, Diretor Corporativo de Conscientização e Relações Públicas da MED-EL

Postagens recomendadas