em Dicas e; Truques, Para adultos

Os implantes auditivos são uma das maneiras mais eficazes de restaurar o sentido da audição de alguém com perda auditiva neurossensorial significativa. No entanto, o resultado é sempre diferente para cada usuário. Leva tempo para os ouvidos de alguém se ajustarem à nova estimulação sonora com o implante auditivo e para o cérebro aprender o que esses sons e sensações significam. E a cóclea de cada pessoa é diferente, o que significa que ela pode receber os sinais do implante de maneira diferente.

Existem muitos fatores diferentes que influenciam o benefício que um implante auditivo pode proporcionar a alguém que o recebe quando adulto. Neste post, veremos as seis maneiras pelas quais o histórico de audição antes de um implante pode influenciar sua experiência com o implante auditivo no futuro.

O seu histórico da perda auditiva pode influenciar a maneira como você ouve quando recebem um implante coclear . Aqui estão 6 fatores como o histórico de audição pode afetar a maneira como você ouve com o implante.

 

1: Idade em que a perda auditiva ocorreu pela primeira vez

Se você perdeu a audição tardiamente, seu cérebro já estará acostumado a ouvir. Você já terá desenvolvido vias neurais para o som em seu cérebro. Esses caminhos são usados para combinar o significado de um som – tanto os sons ambientais quanto os sons da linguagem. Depois de receber um implante auditivo, essas vias neurais podem apoiar o desenvolvimento da audição à medida que reaprendem a ouvir com um implante.

 

2: Idade no momento da implantação

Não há limite de idade para quando alguém receber um implante auditivo! Indivíduos com mais de 90 anos de idade puderam desfrutar do som com um implante! Barbara de 80 anos é apenas um exemplo! A maioria dos adultos que recebe um implante quando são “pós linguais”, o que significa que a perda auditiva aconteceu depois que eles desenvolveram habilidades de linguagem. Sua reabilitação envolverá atividades que ajudam seu cérebro a voltar a se envolver com sons e palavras que conheciam antes de receber o implante.

 

3: Tempo entre a perda auditiva e o implante

Ter uma perda auditiva de longo prazo não é um motivo para não se obter um implante auditivo. Entretanto, aprender a adaptar-se à audição com um implante pode levar mais tempo se houver um tempo significativo entre o início da perda auditiva e o implante.

 

4: Audição residual

A audição residual significa que algumas das delicadas células ciliadas da cóclea ainda estão intactas e capazes de perceber os sons. Quanto mais audição residual você tiver, mais oportunidades seu cérebro terá para ouvir, aprender e fazer sentido a partir dos sons que você já ouviu. Esta audição residual pode então ajudar seu cérebro a interpretar e entender o significado dos sons que você ouvirá com um implante coclear. É por isso que preservar a audição residual é tão importante e por que nós, na MED-EL, usamos feixes de eletrodos que são excepcionalmente suaves e flexíveis.

 

5: A causa da perda auditiva

Nem sempre é possível identificar a causa da perda auditiva de alguém. No entanto, quando pode ser identifica-la, esta informação pode orientar o profissional a ajudá-lo a alcançar o melhor resultado com o seu implante.

 

6: Uso de prótese auditiva antes da cirurgia de implante

Para alguém com boa audição residual, os aparelhos auditivos podem ajudar o cérebro a receber o som apesar da perda auditiva. Isso ajuda a manter as vias auditivas no cérebro de uma pessoa e pode ajudar a fazer a transição para uma audição com um implante auditivo.

 

Este post foi escrito com ajuda de R Sheetal, fonoaudiólogo e especialista clínico da MED-EL.

Como este post sobre os fatores de pré implante podem influenciar seu sucesso com o seu dispositivo? Inscreva-se no Blog da MED-EL para receber as dicas e truques mais recentes diretamente na sua caixa de entrada!

Comments

Postagens recomendadas